domingo, 27 de março de 2011

Edir Macedo: de aborteiro a cervejeiro... e um obreiro da IURD querendo explicar...



Se o Macedo gosta de tomar uma cervejinha, tudo bem, eu não bebo, não defendo a bebida alcóolica e entendo que ela é uma droga como outra qualquer, mas não o questiono pela sua prática particular (moderada?) de degustar uma cervejinha. É muito comum os evangélicos estigmatizarem tudo que é prazeroso para os pagãos (mesmo que façam o mesmo escondido), bucarem demônios no mundo fora da Igreja para esconderem o mundo de demônios dentro dos templos e dos seus corações. Antigamente a bebida era condenada na IURD, nas pregações, os demônios que manifestavam eram os causadores do vício do alcoolismo e tudo mais, beber uma gota de alcóol na IURD sempre foi um pecado absurdo, mas agora o pessoal da antiga da IURD ficou como "cachorro caído do caminhão de mudança", sem saber o que está acontecendo (não estou chamando ninguém de cachorro, quem se ofendeu coloque o Tico e o Teco pra trabalhar). Como há muito tempo a industria cervejeira vem ocupando espaço na Record, naturalmente que ele tem que justificar esse patrocínio, santificar a cervejinha e assumir publicamente... malandro hein!!!

Quanto ao querido irmão e obreiro Alexandre, eu o conheço, ele é meu contemporâneo de IURD , é um cara sincero no Evangelho e se suporta a IURD na sinceridade, é porque tem uma paciência de Jó. Pena que está demorando muito pra acordar, pois já se passaram 20 anos de quando acordei daquela "bagaça universal"...




Acorda mano Alexandre! Deixe de tentar justificar o injustificável. Isso sim é ser literalmente um advogado do diabo. Fica essa mensagem do Caião acima pra ver se vc desperta desse longo sono. Sua decepção na tentativa de explicar é evidente, sua frustração está no seu olhar, mas a cervejinha do Macedo não é problema, o grande problema é o veneno do anti-evangelho que ele destila. Macedão sempre tomou umas e outras, eu já sabia a muito tempo, só que naquela época ele não tinha um motivo pra a$$umir... hoje ele tem.

Aos blogueiros evangélicos: De graça recebei do Google, de graça dai.


Sete perguntas aos blogueiros apologetas "comerciantes" que evocam a ética, mas fazem o mesmo de um forma sutil:


1- Por que esse "espírito de auditor" faz com que o bom senso de vocês esteja em "off" o tempo todo? O está a vossa coerência?

2- Se o Google vos dá uma plataforma gratúita chamada Blogger, por que não obedecem a um mandamento simples do Senhor que é "De graça recebei, de graça dai", e abandonem essa mente capitalista, onde de tudo que se faz tem que brotar um lucrinho? ... em blog que critica o mercantilismo evangélico, não é justificável virar um balcão de negócios, mesmo que seja pequeno;

3- Por que tantas notícias evangélicas de baixíssimo teor edificante, só trazendo fofoquinhas do paipóstolo, fofoquinhas da "Bola de Neve", fofoquinhas da Ana Paula Valadão, e mais fofoquinhas, que a gente sabe que é só jogada de MARKETING para juntar audiência? Infelizmente os "blogs evangélicos do fuxico" só demonstram que nem mesmo os corações desses evangélicos, ditos seguidores de Cristo, se alimentam do que é Evangelho puro e simples, infelizmente precisam da fofoca "santa" como entretenimento;

4- Como é que a consciência de vocês permitem anunciarem produtos comissionados, em ambientes gratuitos do Google? Pois mesmo sendo lícito, não convém aos que evocam a ética e criticam a Renascer, Malafaia e a IURD.

5- Será que obedecer um mandamento só serve para os vendilhões do templo? Ou será que os estardalhaços que se provocam nesses blogs de apologética são só pra atrairem clientes para seus patrocinadores?

6- Será que vale a pena a moedinha de Mamon que se ganha com propagandas de Bíblias, livros, camisetas, eventos, Loja Submarino, revistas, Peixe Urbano, Groupon e etc, em detrimento de um mandamento estabelecido pelo Senhor Jesus? Que diferença há entre vocês e a barraquinha de venda de livros e dvds do Malafaia, que é a vítima preferida dessa hipocrisia blogueira?

7- Onde ficam o bom senso, a ética e o Evangelho que vocês pregam? A comissão pode não ser tão grande, mas lembrem-se que Judas vendeu o Senhor dos senhores por 30 moedinhas também. Vocês vão continuar vendendo suas consciências por tão pouco?

O compromisso com o Evangelho é mais visceral do que vocês imaginam ou publicam. Mamom (deus dinheiro) é sutil e move mais o coração da maioria esmagadora dos cristãos do que se imagina.

Quer anunciar e vender? Tudo bem manos, não sou contra o comércio em si, mas não se ache m no direito de criticar os mercadores da fé e nem preguem o Evangelho misturado com seus interesses financeiros, pois se for assim virou "Igreja Blog Universal" na hora. Façam um blog de culinária, de comércio eletrônico ou de futebol, fica mais ético e bonito... Se o "$how tem que acabar" que comece por nós. Querem ética? Ouçam o que Jesus diz: "Vai tu e faça o mesmo!"

Infelizmente, obedecer ao Evangelho não é interessante para vendilhões de blog que ganham dinheiro criticando os vendilhões do templo, enquanto isso Mamom vai comendo suas consciências pelas beiradas.

Cassiane Cover... essa não cobra nada pra cantar na sua Igreja.

video


terça-feira, 1 de março de 2011

Malafaia: "Quem não der oferta não será abençoado."

Um dos expoentes da Assembléia de Deus, o pastor Silas Malafaia pregou na semana passada, em um templo novinho de sua Vitória em Cristo, em Araruama, município da região dos Lagos fluminense. Pouco louvor e mais terror. Depois de informar o custo da igreja (R$ 600 mil), ele foi direto com os fiéis: “Quem não der oferta, tudo bem. Mas não sairá daqui abençoado.” Considerando que a bênção vem de Deus, parte do público deixou o local.

Fonte: Coluna de Ricardo Boechat na Istoé