quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A cronologia de Jerusalém.



video


Um documentário narrado, do Monte das Oliveiras, sobre os 3000 anos de história cidade de Jerusalém, citando todos os fatos importantes acontecidos nessa cidade de Abrãao ao Senhor Jesus. Muito importante para enriquecer nosso entendimento sobre seu contexto histórico.

domingo, 3 de outubro de 2010

O Evangelho e seu significado.



O Evangelho é a boa nova de Jesus Cristo, esta boa notícia tem sido pervertida no Brasil nos últimos 20 anos pela nefasta Teologia da Prosperidade e pela confissão positiva da "Fé Rhema". Nesse vídeo Jonh Piper traz à luz o significado do Evangelho em contraponto ao que ensina essa "teologia".

Os "zumbis" Evangélicos.




A Teologia da Prosperidade é uma fábrica de veneno embalado pra presente. Se Jesus aceitasse as propostas do diabo na tentação, com certeza, ali teria iniciado biblicamente essa Teologia. O seu resultado é mais ou menos igual ao da lenda pagã que diz que se uma pessoa for mordida por um vampiro, vira igualmente outro vampiro. As práticas mostradas no vídeo da igreja africana são idênticas em tudo, até no pedir da oferta, com as igrejas neopetencostais brasileiras.

Na IURD (Igreja Universal do reino de Deus), por experiência própria, verifiquei que a vítima é transformada em praticamente uma “zumbi” espiritual sem se dar conta. Ela chega no seu primeiro dia de igreja sem saber de nada, como um “cd virgem”, sem nenhuma informação de Jesus, senta-se no banco confortável de uma catedral e recebe do púlpito um "ensinamento" que vem de uma pessoa que um dia esteve na mesma situação dela, zerada de qualquer informação a respeito do Evangelho. Nesse ambiente o Novo Testamento não é pregado (se for gera logo conflito com a mensagem proposta pelo palestrante), a bíblia raramente é aberta, fica fechadinha no púlpito. Normalmente usam-se versículos do Antigo Testamento previamente estudados e encaixados fora de contexto para que ratifiquem a proposta da “campanha” do mês. O pastor, que aspira ser bispo um dia, anda de um lado para o outro, esmurrando o ar, em uma performance de guerreiro, argumentando o tempo todo o porquê que se deve fazer a tal campanha e no final do culto distribui um envelope personalizado para que a vítima traga sua oferta no próximo culto. No fim dessa inoculação venenosa, que passa de um envenenado mais antigo para uma nova vítima, aquela pessoa que chegou nessa igreja meses a trás, sem nenhuma informação de Cristo, já tem o seguinte discurso no coração:

- “Aqui aprendi que nesse momento não preciso do seu Evangelho, Jesus! Mostre-me, primeiramente, que você é poderoso o suficiente para eu acreditar em você. Dê-me essa prosperidade que o pastor diz que você tem, pois quero ver para crer. Prove-me seu Poder dando-me a minha benção financeira antecipadamente, para que eu entregue um dia meu coração a Ti.”


Obviamente que existem nesse meio, pessoas que até suportam essas inoculações, mas querem realmente conhecer Jesus e não tem esse discurso de um coração envenenado, mas essas não duram muito tempo ali, pois querem ouvir a voz do Bom Pastor e com o tempo percebem que Ele não está presente. Na verdade, nesses ambientes, o nome de Jesus é só um elemento atrativo, para seduzir a vítima, pois convenhamos, qual é o nome que tenha maior credibilidade do que o de Jesus? O nome dEle é falado o tempo todo, mas a sua Pessoa é negada nas atitudes e nas inteções.

A mente da vítima é transformada, ela se torna um soldado pronto para passar adiante o que recebeu, um verdadeiro "zumbi apaixonado" a serviço do reino de um deus que Jesus não conhece. A vítima pensa que é livre porque, no início, um suposto demônio saiu de dentro dela nos cultos de libertação, mas não foi alimentada com o excencial que é a Palavra, e sim com o novo “veneno” parecido com a mensagem de um evangelho "tabajara" , que a mobiliza para trazer dinheiro e outras vítimas, tudo pelo “reino de deus”. Se com o passar do tempo não tiver exito a culpa é da fé que ela não teve. Conheço pessoas que estão nessa situação há décadas, buscando esse bilhete premiado celestial, ou se sentindo psicologicamente ameaçadas pelo fantasma da suposta maldição de saírem de lá, com isso ficam com as mentes acovardadas, acreditando que esse é o unico caminho e repetindo dentro de si frases de efeito como: "Desistir é a saída dos fracos. Insistir é a altenativa dos fortes!". Enfim, são enganadas pelo mesmo diabo que tentou Jesus e o levou ao pináculo do templo, só que essas vítimas se jogam de lá em toda Fogueira Santa.





Oremos com compaixão por esses nossos irmãos, principalmente pelos obreiros, que já se acostumaram ao efeito do veneno e muitos não têm mais forças nem meios de sair. E para aqueles que acham que os sinais e maravilhas, tais como demônios se manifestando e pessoas sendo curadas que se vêem nesses ambientes são autenticadores do Poder e aprovação de Deus, segue o que diz Jesus em MT 7: 22 e 23.

“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.”

sábado, 2 de outubro de 2010

A verdade sobre o Dízimo .


"...O dízimo não é uma doutrina do Novo Testamento. É doutrina do Velho Testamento, e Jesus disse que a Lei e os profetas vigoraram até João. Paulo nos aconselha, em Gálatas 5:1: “Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão”. Isso quer dizer que nenhum cristão deve ficar sob o jugo de coisa alguma, nem mesmo da Igreja, pois é livre para fazer o bem. Deve praticar boas obras, dar o dízimo, SE QUISER, mas somente a uma coisa ele está obrigado - é a amar o próximo, conforme declaração do mesmo Paulo, em Gálatas 5:14: “Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. Os pastores neopentecostais são sempre os mais ávidos cobradores do dízimo. Isso porque, além de serem tremendamente utilitaristas, eles são arminianos. Crêem piamente e ensinam aos pobres membros de suas igrejas que “o crente pode cair da graça” e perder a salvação. Ora, Cristo é o Senhor eterno e absoluto dos céus e da terra. Ele morreu pelos nossos pecados, ressuscitou gloriosamente e, através da fé que depositamos em Seu sacrifício, Ele nos dá a salvação eterna. Então, que “salvação eterna” é essa, que pode ser perdida pelo crente, se ele cometer pecados... se deixar de entregar o dízimo? Isso é balela católica assimilada pelo neopentecostalismo. CRENTE NENHUM JAMAIS PODE PERDER A SALVAÇÃO, isto é, se realmente passou pelo novo nascimento. Desse modo, não ficarei admirada se, qualquer dia desses, os pastores neopentecostais começarem a pregar também a doutrina do purgatório e a pedir dinheiro aos membros de suas igrejas, a fim de retirar de lá os parentes falecidos. Há poucos dias, um pastor da cidade, falando diante do esquife de um membro de sua Igreja, fez esta espantosa declaração: “Era um membro fiel e digno de imitação... entregava pontualmente o dízimo, etc.” Pelo visto, esse pastor acredita piamente na salvação pelas obras, pois essa ovelha que estava sob o seu cajado, tendo entregado pontualmente o dízimo, é “digna de imitação” e, portanto, da salvação..."

Trecho do livro: "Dízimo do dízimo" de Mary Schultze

Leia-o completo aqui, ou copie e cole no seu navegador o endereço a seguir:

http://www.scribd.com/doc/4796274/O-DIZIMO-DO-DIZIMO-Mary-Schultze

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Leonardo Gonçalves: Obrigado



Jesus veio transformar a religião fria e hipócrita em uma relação genuína de amor entre o homem e Deus.

Minha primeira postagem é um agradecimento em forma de música, um louvor não somente ao nome, mas à Pessoa do nosso Bom Pastor Jesus. Louvor a Sua simplicidade, a Sua coragem, a Sua subversão amorosa, a Sua verdade, e a tudo que Ele representa para todos nós que O amamos.

O vídeo desse clipe é simples como Jesus, sem purpurina, sem apoteose, mas muito significativo. É uma montagem de trechos dos Desenhos Bíblicos que passavam no SBT nas manhãs de domingo de muitos anos atrás, dos quais tenho saudades.

Musica: “Obrigado”, de Leonardo Gonçalves.

Clipe: Topet Produções.